Home Notícias Enfrentamento da crise financeira na educação é tema de oficina técnica organizada pela UNDIME-MG em pareceria com a AMAMS

Enfrentamento da crise financeira na educação é tema de oficina técnica organizada pela UNDIME-MG em pareceria com a AMAMS

Enfrentamento-da-crise-financeira-na-educacao-e-tema-de-oficina-tecnica-organizada-pela-UNDIME-MG-em-pareceria-com-a-AMAMS

A União Nacional de Dirigentes Municipais de Educação em Minas Gerais (UMDIME-MG) realizou uma reunião técnica com as Secretarias de Educação e Coordenadorias Regionais em parceria com a Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene – AMAMS, nesta segunda (13/10), abordando temas e projetos para educação em tempos de crise financeira, oportunidade em que pediu ajuda da AMAMS, para uma mobilização que assegure a continuidade do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), que está programado para ser extinto em 2020. A diretora-executiva da UMDIME em Minas Gerais, Suely Duque Rodarte, que é da Câmara de Ensino Fundamental do Conselho Estadual de Educação, participou do Encontro Técnico na AMA MS, quando alertou que a extinção do Fundeb levará vários municípios a uma verdadeira crise nos cofres públicos, pois o valor arrecadado com o Fundeb é um complemento essencial para a manutenção da educação e por isso os municípios não podem ficar sem essa receita. No evento, Suely alertou ainda que vários municípios e o Estado estão perdendo recursos da educação por não terem apresentado o Plano de Educação.
 
Na abertura do evento, o secretário-executivo da AMAMS, Ronaldo Mota Dias pediu apoio da UMDIME, para que com estas medidas e projetos apresentados, auxilie os municípios a amenizar essa crise que enfrentam, em decorrência da falta de condições financeiras, que tem engessado o setor. Ele cita que há mais de 20 anos os municípios vem enfrentando os mesmos problemas, com descaso dos Governos estadual e federal, que deixam de cumprir seus compromissos e repasses, com isso, prefeitos e secretários municipais ficam parecendo que não resolvem as demandas apresentadas, quando na verdade são obrigados a seguirem uma cartilha que vem de cima prá baixo e na maioria das vezes os impede de executar ações efetivas. Citou como exemplo o atraso no repasse dos recursos do transporte escolar e com isso, as Prefeituras acabam tendo que aplicar recursos próprios nessa despesa. Ronaldo Mota lembra ai nda que tem localidades com escolas rurais a 90 quilômetros de distancia da cidade.